Blefaroplastia (pálpebras)

blefaroplastiaCirurgia muito freqüente pelos benefícios e simplicidade de execução. Consiste na retirada do excesso de pele e bolsas de gordura das pálpebras superior e inferior, podendo ainda haver reposicionamento de estruturas. Em alguns casos há melhora da acuidade visual (excesso de pele exacerbado).

Cicatrizes: as incisões são colocadas em locais cuidadosamente escolhidos: na pálpebra superior coincidem com o chamado sulco palpebral (local onde a pálpebra superior se dobra para permitir abertura dos olhos) e na pálpebra inferior sob os cílios, ficando ambas praticamente imperceptíveis. No pós-operatório, as cicatrizes, como quaisquer outras, sofrerão um amadurecimento , isto é, uma transformação progressiva, até que obtenham seu aspecto final. As principais fases de amadurecimento são:

- 0 a 30 dias: as cicatrizes se apresentam com bom aspecto, como um fino corte, de coloração parecida com a pele ao redor. Podem surgir pequenas reações a pontos que melhorarão com o tempo.

- 30 dias a 4 – 6 meses: é a fase onde a cicatriz se apresenta com pior aspecto, geralmente trazendo ansiedade a quem estiver menos avisado. A cicatriz fica rósea e mais aparente e este aspecto só melhora com o tempo. Nesta fase as massagens na cicatriz são um ótimo auxílio e estarão sempre indicadas. Isto não deve ser confundido com cicatriz hipertrófica e quelóide , que são alterações da cicatrização dependentes de características pessoais do paciente, com influência genética, independentemente da técnica cirúrgica. Mesmo nestes casos, o cirurgião estará apto a orientar e tratar a cicatriz através de diferentes técnicas, obtendo bom resultado.

– 4- 6 meses até 12 – 18 meses: é nesta fase que se dá o amadurecimento final e a cicatriz começa a “afinar” e mudar a coloração (clareando e se tornando mais parecida com a pele adjacente). Geralmente após este tempo a cicatriz assume o seu aspecto definitivo, bem como o resultado final da cirurgia pode ser avaliado. No entanto a cicatrização é um processo muito dinâmico e se continua indefinidamente, melhorando através de remodelação com o passar dos anos.

Todas estas fases são menos perceptíveis nas cicatrizes provenientes da cirurgia de pálpebras em virtude do posicionamento das incisões, que são escondidas.

Tempo de Cirurgia: a cirurgia dura em média 1 a 2 horas, dependendo de cada caso e das áreas totais a serem tratadas. Eventualmente, em alguns casos, pode ser preciso reposicionar a gordura das pálpebras, diminuir a frouxidão palpebral, etc. Este tempo não deve ser confundido com o tempo que o paciente permanece no Centro Cirúrgico, que inclui uma fase de preparação (marcação para a cirurgia), anestesia, recuperação pós-anestésica, até a alta.

Anestesia: geralmente a cirurgia é feita sob anestesia local, associada ou não à sedação conferida pelo anestesiologista. É muito comum a associação desta cirurgia com a cirurgia de face e mesmo nestes casos a cirurgia é geralmente realizada com anestesia local e sedação. Muito raramente indicamos anestesia geral para realização das duas cirurgias concomitantemente que é então superficializada por uma anestesia local conjunta. Desta forma, a paciente quase sempre recebe alta no mesmo dia, após a recuperação pós-anestésica.

Associação com outras Cirurgias e outros Procedimentos: é muito comum a associação da blefaroplastia à cirurgia de face, embora ela seja também muito realizada isoladamente. Outra associação bastante comum naqueles pacientes que desejam procedimentos mais simples e recuperação mais rápida é a realização de blefaroplastia com peelings, toxina Botulínica, preenchimentos de rugas, mesolifting e outras técnicas. Estes procedimentos auxiliares podem ser realizados antes, durante ou após a cirurgia. Converse com o seu médico para saber qual o momento ideal no seu caso.

Curativo: a paciente sai da sala de cirurgia e recebe alta apenas com um pequenos esparadrapos tipo Micropore colados nos cantos dos olhos, sobre os fios de sutura. É conveniente que se utilize óculos escuros para maior conforto e proteção do sol. Em casa, recomenda-se aplicação de gaze com soro fisiológico gelado sobre as pálpebras. Isto ajuda a diminuir o edema (inchaço) e equimoses (manchas roxas) que podem ocorrer em graus variáveis de pessoa para pessoa. Tudo isso é normal e melhorará com o passar do tempo.

Dor: quando existe, geralmente é discreta e cede com analgésicos comuns, sendo mais frequente nos primeiros dias. É um importante parâmetro para indicar a necessidade de repouso relativo no início.

Banho: pode ser liberado após 24 horas, tomando-se cuidado para não esfregar os pontos. Use xampu neutro e não se preocupe se a água tomar uma coloração rósea. Isto se deve a pequenos acúmulos de sangue coagulado (seco) e não deve trazer nenhuma preocupação, pois será eliminado naturalmente.

Retirada de Pontos: A retirada de pontos é feita em torno do quarto ao setimo dia.

Repouso: é sempre relativo. No primeiro e segundo dia é prudente evitar muita movimentação e manter gaze com soro fisiológico gelado sobre as pálpebras. Não fazem mais sentido hoje em dia repousos absolutos e longas listas proibitivas e o seu grau de desconforto é um ótimo parâmetro para liberação de movimentos. De um modo geral, não se exponha a sol ou calor excessivos no início e proteja os olhos com óculos se estiver fora de casa. Em uma semana a dez dias você já poderá realizar caminhadas, andar de bicicleta e praticar exercícios leves e após o primeiro mês poderá praticar natação, hidroginástica e musculação e outros.

Sol: evite tomar sol no local das cicatrizes, principalmente no início e durante um período de 3 meses aplique filtro solar (FPS 30) sobre elas após retirados os pontos. Enquanto houver equimoses (manchas roxas) o sol também não é aconselhável pois elas poderão pigmentar (escurecer) de forma até permanente.

Resultado final: dependendo do grau de edema (inchaço) que ocorrer com você, logo no pós – operatório imediato já se pode ter uma idéia do resultado que será obtido. Porém, lembre-se sempre que, de uma certa forma, o seu corpo foi agredido e vai levar algum tempo para que ele possa se recuperar completamente. Assim, o resultado final de qualquer cirurgia nunca pode ser avaliado antes da completa cicatrização, ou seja, 6 meses a 1 ano. Nesta fase é importante ter paciência e evitar a ansiedade de se querer um resultado imediato. Lembre-se que você levou 9 meses para nascer! Evite se perturbar por comentários de “amigas (os)” ou parentes que não foram esclarecidos como você sobre a cirurgia. Irregularidades, inchaço ou outras alterações podem ocorrer e serão passageiras, bastando dar tempo ao tempo. Pequenas áreas de insensibilidade, coceira e ardor também são muito comuns no início e se surgirem dúvidas, converse com o seu cirurgião, que será a única pessoa capaz de orientá-lo corretamente.

Recidiva: como qualquer cirurgia, não existe “prazo de validade” para a cirurgia das pálpebras e o seu corpo continua se modificando. Assim, se você engordar ou emagrecer, sua face se modificará e o relógio do tempo não pára com a cirurgia. Você e sua face continuarão a envelhecer. Porém, de um modo geral, os resultados são bastante duradouros e gratificantes, sendo realmente possível conferir um melhor aspecto ao rosto, com grande benefício estético.

É importante que o paciente esteja bem esclarecido acerca do procedimento e o que ele pode oferecer, evitando falsas expectativas sobre o resultado. O médico especialista é a pessoa mais indicada para esclarecer todas as dúvidas de cada paciente, com informações específicas para cada caso, além destas por escrito, durante o pré-operatório.

PERGUNTAS FREQUENTES

· P: EXISTE UMA IDADE IDEAL PARA SE OPERAR AS PÁLPEBRAS?

· R: Não existe uma idade ideal, mas sim, a oportunidade ideal. Essa oportunidade é determinada pela presença do defeito a ser corrigido e geralmente ocorre após a terceira década.

· P: AS CICATRIZES SÃO VISÍVEIS? ONDE SE LOCALIZAM?

· R: Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar praticamente disfarçadas nos sulcos da pele. Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação da cicatriz (3 meses). Pela sua localização são passíveis de serem disfarçadas com uma maquiagem leve, desde os primeiros dias.

· P: QUAL O TIPO DE ANESTESIA?

· R: Pela extensão da cirurgia e boa qualidade dos anestésicos, a maioria dos casos é operada sob anestesia local (em alguns casos, com uma sedação prévia). Dependendo da vontade do paciente, poderão ser feitas sob anestesia geral. Reserva-se esta última conduta para os casos em que clinicamente está contra-indicada a anestesia local ou mesmo, quando a blefaroplastia esteja sendo feita simultaneamente a outras cirurgias.

· P: HÁ DOR NO PÓS-OPERATÓRIO?

· R: Geralmente não. Mesmo que ocorra uma sensibilidade maior ou pequenos surtos de dor, estes poderão ser perfeitamente abolidos com o uso de analgésicos comuns. Seu médico lhe prescreverá aquele mais indicado. Não de automedique.

· P: OS OLHOS FICAM MUITO INCHADOS? POR QUANTO TEMPO?

· R: O edema (inchaço) dos olhos varia de paciente para paciente. Existem aqueles (as) que já no 4º ou 5º dia apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros existem que irão atingir este resultado após o 8º dia. Mesmo assim, os 3 primeiros dias do pós-operatório são aqueles em que existem maior “inchaço” das pálpebras. O uso de óculos escuros poderá ser útil nesta fase, assim como a utilização de compressas frias diminui a intensidade do edema. Sòmente após o 3º mês é que poderemos dizer que o edema residual é discreto.
· P: QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?

· R: Anestesia local com sedação: de 4. a 8 horas.

Anestesia geral: 24 horas.

· P: QUANTO TEMPO DURA A CIRURGIA?

· R: Normalmente, em torno de 90 minutos. Dependendo do caso, existem detalhes que podem prolongar este tempo. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.
· P: O QUE SÃO AS “MANCHAS ROXAS OU AVERMELHADA ” OBSERVADAS EM CERTOS CASOS?

· R: Nada mais são do que a infiltração do sangue na pele subjacente, e mesmo na conjuntiva ocular; são devidas ao próprio trauma cirúrgico. Isto, entretanto, não constitui qualquer problema futuro e não é considerado como complicação, mas sim, uma intercorrência transitória e reversível.

· P: QUANDO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?

· R: Após o 3o. mês. Entretanto, logo após o 8º dia já teremos aproximadamente 25% do resultado almejado, sendo que nas 2 ou 3 semanas subseqüentes esse percentual tende a melhorar acentuadamente.

· P: OS OLHOS FICARÃO OCLUÍDOS APÓS A CIRURGIA?

· R: Não obrigatoriamente. Podem ser recomendadas a colocação de compressas frias por alguns minutos, várias vezes ao dia, ato este controlado pelo(a) próprio(a) paciente, como profilaxia do edema acentuado. Alguns cirurgiões, entretanto, preferem a oclusão dos olhos no pós-operatório.

· P: AFINAL, O RESULTADO COMPENSA?

· R: Se você está ciente do que deseja e o cirurgião puder lhe propiciar aquilo que você pediu, sem dúvida compensa. Entretanto, é importante levar em consideração o fato de que a cirurgia das pálpebras não proporciona rejuvenescimento geral à face, quando executada isoladamente. Muitas pacientes esperam este resultado (rejuvenescimento) apenas com a blefaroplastia. O cirurgião plástico apenas melhorará esse território prejudicado pelos defeitos estéticos aí pré-existentes. O rejuvenescimento da face implica em outras condutas associadas à blefaroplastia. Os “pés de galinha”, mesmo que devidamente operados, nunca desaparecerão, ficando ainda o estigma, devido à ação do músculo orbicular e à perda da elasticidade da pele remanescente.

RECOMENDAÇÕES SOBRE A BLEFAROPLASTIA

A) PRÉ- OPERATÓRIO:

1) Comparecer ao local da cirurgia (hospital, clínica) no horário previsto na sua guia de internação.

2) Comunicar qualquer anormalidade que possa lhe ocorrer, quanto ao seu estado geral até a véspera da internação.

3) Não fazer maquiagem no dia da internação

4) Trazer óculos escuros.

5) Na eventualidade de se internar no mesmo dia da operação, venha em jejum

6) Compareça acompanhado (a) para a internação.

B) PÓS-OPERATÓRIO:

1) Compressas com água fria sobre os olhos poderão ser úteis para diminuir o tempo de edema e proporcionar certo conforto pós-operatório.

2) Alimentação livre, a partir do 2o. dia pós-operatório. Carnes, leite e ovos ( proteínas ) são recomendados, assim como vitaminas, em forma de frutas.

3) Usar óculos escuros quando se expuser à luz natural e ao vento.

4) Evitar sol, vento e friagem, por 8 dias.

5) Obedecer à prescrição médica.

6) Voltar ao consultório para curativo e revisão nos dias estipulados.

7) Não traumatizar nem “coçar” os olhos.

9) Dependendo de sua evolução pós-operatória, você poderá voltar às suas atividades normais, após 3 a 4dias.