Cicatrizes

cicaORIENTAÇÃO SOBRE CICATRIZ

Toda incisão cirúrgica (corte) resulta numa cicatriz, não existe cirurgia plástica sem cicatriz, portanto, vale ponderar.

É papel do médico cirurgião plástico escolher os melhores locais para a cicatriz, e utilizar materiais e técnicas apropriadas para camuflar ao maximo a sua visibilidade, porem, não há como evitá-las.

Existem regiões onde a cicatriz fica realmente muito bem camuflada, por exemplo, na cirurgia de nariz (rinoplastia) ou ainda na cirurgia de orelhas em abano (otoplastia), e outras regiões onde ficam mais aparentes como na mamaplastia redutora e nas dermolipectomias (abdome).

É importante entender que o processo de cicatrização é individual para cada pessoa, e a cada nova cicatriz a pele reage de forma diferente, não dependendo somente da técnica e da pericia médica o seu resultado, que dependerá de fatores genéticos do paciente, nutricional e comportamental durante o período de pós-operatório, que deverá ser seguido “religiosamente” pelo paciente a fim de evitar possíveis danos estéticos. Pondere bastante quanto à conveniência de conviver com as cicatrizes cirúrgicas.

Hoje em dia mesmo na presença de uma cicatriz de aspecto indesejável é possível o seu retoque (aperfeiçoamento). Discuta isso com o seu médico antes da cirurgia e pondere.

Considere sempre e esteja ciente que o uso de cigarros atrapalha o processo de cicatrização, se você é fumante, o mínimo que você poderá fazer é parar de fumar 10 dias antes e até 10 dias após o seu procedimento cirúrgico, afim de minimizar os riscos inerentes ao tabagismo.

Perguntas Freqüentes:

1 – O cirurgião poderá garantir uma boa cicatrização?

R: Não, influencias hereditárias, hormonais, nutricionais e comportamentais influenciam no seu resultado.

2 – Existe algum meio de avaliar se a cicatriz será boa ou ruim?

R: Não, quem já teve outras cicatrizes anteriormente boas “provavelmente” continuará tendo, porem, não é uma certeza absoluta.

3 – Como evoluem as cicatrizes?

R: Existem alguns termos referentes a períodos de cicatrização sendo eles:

A) “período imediato”: até 30 dias, nesta fase o aspecto da cicatriz é muito bom e de coloração clara.

B) “período mediato”: de 30 dias a 1 ano, nesta fase a cicatriz fica avermelhada chegando às vezes até a cor marrom que vai clareando aos poucos. Esta é a pior fase da cicatrização, e a fase que mais preocupa o paciente.

C) “período tardio”: de 1 ano até 18 messes, nesta fase a cicatriz vai atingindo o seu aspecto definitivo ficando cada vez mais fina e clara, algumas vezes tornando-se imperceptiveis.

4 – Alguns pacientes desenvolvem “quelóide” por quê?

R: Certos pacientes têm tendência a desenvolver cicatriz queloidiana, essa tendência é pesquisada pelo medico na entrevista com o paciente e caberá ao médico providencias no sentido de evitá-las, porem, poderá ocorrer o aparecimento de cicatrizes queloidianas mesmo sem o antecedente familiar genético.

Desta maneira é importante o entendimento do paciente no sentido de saber que, embora as incisões cirúrgicas sejam feitas em locais especiais (sulcos e pregas naturais) com a finalidade de escondê-las, a qualidade da cicatriz como resultado final, dependerá de fatores individuais e não da técnica ou da perícia do médico cirurgião.

Qualquer alteração ou duvida durante o seu período de cicatrização, procure o seu médico, ele é o único profissional capacitado a dirimir suas duvidas e orienta-la(o) de forma coerente.