Lipoaspiração, Lipo Light e HLPA

lipoEste procedimento consiste em aspirar gordura, sendo indicado para gorduras localizadas e que não são eliminadas após tratamento dietético (regime). Através da lipoaspiração podemos modelar áreas do corpo como barriga, culotes, dorso, ancas, cintura, sub-mento, coxa, entre-coxa e braços. A lipo-escultura é o ato de aspirar gorduras de algumas áreas e usar esta gordura para preenchimento de depressões em outras partes do corpo, como nos glúteos por exemplo.

A lipoaspiração é um tratamento de modelagem do corpo e não de emagrecimento, devendo ser aspirado no máximo entre 5-7% do peso corporal.

Cuidados no Pré-operatório:

Os pacientes fumantes devem deixar de fumar pelo menos 30 dias antes e 30 dias depois da cirurgia.
Uso de anti-concepcional e terapia de reposição hormonal, se possível, deverão ser suspensos um mês antes da cirurgia, sendo retomado seu uso somente um mês após a cirurgia. Este cuidado deve ser tomado para que se minimize o risco de trombose nas pernas.
Não tomar nos 15 dias que antecedem a cirurgia: AAS, Melhoral, Buferim, Aspirina e anti-inflamatórios.
Os pacientes hipertensos não devem interromper o medicamento anti-hipertensivo, salvo sob orientação do seu cardiologista.
Os pacientes diabéticos deverão ser avaliados pelo endocrinologista que orientará a conduta adequada, quanto ao uso da medicação;
Realizar os exames pré-operatórios indicados;
Tirar fotos para estudo e comparação;
Fazer jejum 8 horas antes da cirurgia, inclusive de água;
Antes da cirurgia, tomar banho usando sabonete antisséptico (Soapex 1%);
Em alguns casos, pode ser necessário o uso de cintas compressivas nos 15 dias que antecedem a cirurgia;
Providenciar a cinta compressiva conforme a área a ser aspirada e trazer para a clínica no dia da cirurgia, pois será utilizada no pós-operatório imediato. A cinta deve ficar confortável ao vestir, não devendo ser muito apertada;
Outras recomendações serão dadas de acordo com as peculiaridades de cada paciente.
Comparecer ao local da cirurgia uma hora antes da realização da mesma.

Anestesia

Será indicada pelo anestesista responsável, sendo geralmente utilizada a anestesia peridural. Pode ser realizado sob anestesia local (Lipo Light ou HLPA).

Cuidados no Pós-operatório

Usar cinta modeladora por um período de 2 meses. As marcas recomendadas são: Ioga, Cinta moderna, Duloren, Bandage etc.
Usar analgésicos e antibióticos conforme orientação médica;
O edema (inchaço) é normal e persiste por mais ou menos 90 dias;
O paciente não deve fazer repouso absoluto em hipótese alguma. O paciente que fica restrito ao leito tem maior risco de complicações como trombose venosa profunda (nas pernas).
Fazer massagem nas panturrilhas (batata da perna) com creme, devendo ser feita pelo acompanhante, assim que o paciente retornar do centro cirúrgico. Deve ser feita pelo menos três vezes por dia, até que o paciente esteja andando ativamente.
Não fazer compressa fria ou quente no local operado. Estas áreas geralmente apresentam alteração na sensibilidade, o que pode facilitar a ocorrência de queimaduras;
Tomar banho com sabonete antisséptico (Soapex 1%);
Fazer drenagem linfática conforme orientação. Esta drenagem poderá ser iniciada 48h após a cirurgia;
Evitar exposição ao sol por 90 dias;
O paciente deverá fazer no mínimo 7 retornos após a cirurgia (2,3 e 4 semanas de pós-operatório; 2, 3 e 6 meses, e com 1 ano);
As consultas de retorno serão feitas no consultório e devem ser marcadas com antecedência.

Complicações

Infecção: proliferação bacteriana no foco cirúrgico com reação inflamatória (calor, vermelhidão, inchaço e dor) e formação de pus no local, acompanhado de febre.
Hematoma: acúmulo de sangue no local da cirurgia com expansão tecidual.
Seroma: acúmulo de líquido (soro ou plasma, parte líquida do sangue) no espaço deixado pelo descolamento do tecido. Ocorre um abaulamento da área.
Necrose gordurosa: morte da gordura por comprometimento da circulação arterial.
Necrose da pele: morte do tecido (pele) pela falta de circulação sanguínea;
Deiscência de sutura: abertura dos pontos;
Embolia gordurosa: liberação de partícula de gordura na circulação obstruindo vasos sanguíneos, causando comprometimento tecidual, etc.
Embolia pulmonar, por formação de trombos.
Manchas pós-lipoaspiração podem ocorrer e são de difícil solução;
Depressões e abaulamentos;
Prurido (coceira);
Formação de quelóide nos locais de introdução da cânula de lipoaspiração. Trata-se de uma complicação que não é possível de ser prevista no pré-operatório, mas é mais comum nas pessoas da raça negra ou amarela. Existem formas de tratamento para este tipo de complicação mas algumas vezes os resultados são frustros;
Dores e dolorimento ao contato.

Obs: 1) A cirurgia plástica é uma cirurgia de modelagem e de detalhes, em alguns casos pode ser necessário um 2° procedimento ou refinamentos para um resultado final mais apurado. O paciente deverá arcar com os custos hospitalares caso seja necessário uma segunda intervenção, mas estará isento de novos honorários médicos.

2) Caso ocorra alguma intercorrência durante ou após a cirurgia, e o paciente venha necessitar de internação em UTI, os custos da UTI serão pagos pelo paciente ou pelo seu plano de saúde.

Recomendações

Comunicar qualquer alteração que possa ocorrer, quanto ao seu estado geral, até a véspera da internação.
Não fazer maquiagem e nem pintar as unhas no dia da internação;
Trazer os exames pré-operatórios no dia da internação;
Trazer a cinta compressiva;
Um acompanhante deverá ficar junto com o paciente no pós-operatório, durante a internação hospitalar;
Qualquer dúvida ou problema que surgirem antes ou após a cirurgia entrar em contato com o seu médico (Dr. Humberto Brasiliense 9994-2626, consultório 3345-7203 ou 3345-1619).

Orientação Nutricional

* Mastigar bem os alimentos;

* Fazer as refeições em horários estipulados e em ambientes calmos;

* Fracionar a alimentação em 05 a 06 refeições diárias (café-da-manhã, lanche, almoço, merenda, jantar e ceia);

* Diminuir a quantidade de alimentos colocados no prato;

* Variar frutas e verduras;

* Começar as principais refeições pelos vegetais;

* Vegetais: consumir diariamente crus ou cozidos, não refogar e não fritar;

* Para a salada, adicionar sempre 1 colher de chá de azeite. Preferir temperos naturais como sal, limão, orégano, ervas finas, manjericão, etc. Evitar molhos de salada industrializados especialmente os a base de maionese e queijo;

* Opção de sobremesa: fruta ou gelatina ao invés de doces;

* Preferir ingerir a fruta (com casca ou bagaço) ao invés do suco;

* Utilizar quantidades mínimas de óleo vegetal nas preparações dos alimentos;

* Carnes: de preferência assadas, grelhadas ou cozidas – não fritar;

* Diminuir ingestão de: arroz, macarrão, fubá, farinha de mandioca/trigo/milho, semolina, mandioquinha, mandioca, milho verde, batata, cará, inhame, pão, bolacha, torrada, maisena, polvilho, tapioca, canjica, feijão, ervilha, grão-de-bico, lentilha;

* Ovos e vísceras no máximo 1 vez na semana;

* Utilizar leite desnatado, iogurte desnatado e queijo branco (ricota ou cottage) – 2 a 3 porções por dia;

* Evitar ingerir líquidos em grandes quantidades durante as refeições, no máximo um copo (300ml);

* Beber no mínimo 08 copos de água nos intervalos das refeições;

* Evitar o uso de bebidas alcoólicas, sucos industrializados e refrigerantes;

* Substituir o açúcar branco por adoçante;

* Dar preferência aos alimentos integrais (arroz integral, pão integral, macarrão integral, aveia, farelo de trigo, etc…);

* Incluir nas principais refeições (almoço e jantar) pelo menos um alimento fonte de vitamina C (laranja, abacaxi, acerola, morango, limão, manga, caju, pimentão, brócolis, couve) para melhorar a cicatrização cirúrgica e combater a anemia;

* Nos primeiros dias pós-cirúrgico evitar alimentos que provocam gases e má digestão (vide tabela em anexo);

* Para o paciente que se submeteu a cirurgia de grande porte, dar preferência aos alimentos ricos em ferro: agrião, espinafre, brócolis, rúcula, beterraba, couve, carne vermelha, fígado, frango, peixes, açaí e feijão;

Alimentos que devem ser evitados

- Frituras, maionese, mostarda e catchup

- Conservas, embutidos (lingüiça, paio, salsicha, mortadela), frios (presunto, lombinho) e patês

- Carne de porco, toucinho e carnes gordas

- Preparações gordurosas: feijoada, mocotó, dobradinha e rabada

- Geléias, doces, bolos, biscoitos doces, chocolates, nescau, leite condensado, mel, bombons, balas, rapadura, caldo de cana e preparações com açúcar

- Cremes em geral e sorvetes

- Salgadinhos (tipo chips)

- Gema de ovo, coco, leite de coco e azeite de dendê

- Manteiga, creme de leite e nata

- Vísceras (fígado, rins, coração e moela)

Alimentos que provocam gases e má digestão

* Alimentos ricos em gorduras e açúcares * Farofa

* Acelga * Feijão

* Agrião * Fruta-pão

* Alcachofra * Goiaba

* Angu de fubá de milho * Jabuticaba

* Banana-d`água * Jaca

* Batata-baroa * Jamelão

* Batata-doce * Jenipapo

* Bebidas gasosas * Melancia

* Beldroega * Melão

* Bertalha * Nabo

* Brócolis * Pepino

* Cebola * Pimentão verde

* Couve * Pirão (farinha mandioca)

* Couve-flor * Rabanete

* Inhame * Repolho

* Grão-de-bico * Taioba

* Tutu de feijão

LIPOASPIRAÇÃO E LIPOESCULTURA

Existe uma certa confusão entre os termos: LIPOASPIRAÇÃO E LIPOESCULTURA. Geralmente são conceituais e pode-se dizer que trata-se de mesma conduta. A Lipoaspiração é o recurso utilizado para a confecção da Lipoescultura (independentemente se realizada somente a retirada da gordura ou a sua reintrodução em outras áreas) .

A leitura destas observações sobre a cirurgia de LIPOASPIRAÇÃO E LIPOESCULTURA servirá para esclarecê-lo(a) sobre os detalhes que certamente estão lhe interessando no momento. Existem informações errôneas quanto a esta cirurgia, informações essas geradas por casos excepcionais de pacientes operadas em condições adversas à normalidade. Deixe que seu cirurgião plástico o(a) informe sobre a conveniência de associá-la a outra (s) cirurgia (s) e pondere bastante sobre as vantagens e desvantagens de tal associação. Normalmente, as seguintes perguntas são feitas pelos(as) pacientes ao seu cirurgião plástico, por ocasião da consulta inicial:
P: QUANTOS QUILOS VOU EMAGRECER COM A LIPOESCULTURA?

R: Sendo uma cirurgia que retira determinada quantidade de gordura, evidentemente haverá uma redução no peso, que varia de acordo com o volume corporal de cada paciente. Não são, entretanto, os “quilos” retirados que definirão o resultado estético, mas sim as proporções que cada área determinada mantenha com o restante do tronco e os membros. Assim é que , as mulheres que apresentam certo abaulamento no abdome ou em outras partes do tronco, assim como nos quadrís e parte superior das coxas, poderão ter uma pele firme ou eventualmente flácida. A avaliação correta de 3 itens: qualidade da elasticidade da pele, quantidade de gordura e sua localização, nos permitem avaliar o resultado. Há casos, em que o(a) paciente está com o peso acima do normal. Recomendamos um equilíbrio prévio, antes da cirurgia, o que nos leva a aconselhar àqueles(as) que assim se apresentem a prosseguir com um tratamento clínico ou fisioterápico prévio. Existem casos em que retira-se gordura de certas áreas e reinjeta-se esta gordura retirada sob condições assépticas em outras regiões que necessitam aumentar seu volume. Parte dessa gordura poderá se reabsorver. É impossível se prever o percentual de permanência dessa gordura; entretanto, são dedicados cuidados especiais no tratamento dessa gordura, a fim de propiciar maior possibilidade de sucesso.

P: A LIPOESCULTURA DEIXA CICATRIZ MUITO VISÍVEL?

R: As cicatrizes resultantes de uma lipoescultura ou lipoaspiração são mínimas, localizadas em diversas partes do corpo, de modo a permitir acesso às áreas a serem operadas. Seu tamanho varia entre 5 a 8 milímetros e são planejadas para ficar pouco visíveis. De toda a maneira, vamos dar uma explicação sobre a evolução de uma cicatriz, seja ela decorrente de esta ou aquela cirurgia. Assim é que:

PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco visível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo.

PERÍODO MEDIATO. Vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança na tonalidade de sua cor, passando de “vermelho” para o “marrom”, que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes. Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.

PERÍODO TARDIO: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo deverá ser feita após este período.

P: EM QUANTO TEMPO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?

R: Na resposta anterior foram feitas algumas ponderações sobre a evolução da cicatriz. Resta, ainda, acrescentar algumas observações sobre as áreas tratadas, no que tange à sua consistência, sensibilidade, volume, etc.

Nas primeiras semanas ou mesmo meses, essas áreas, além de estar sujeitas a períodos de “inchaços”, poderão apresentar alguns pontos mais densos que outros. Esses geralmente só são perceptíveis à palpação e tendem a desaparecer após o 3o. mes. Com o decorrer dos meses, tendo-se realizado as devidas drenagens linfáticas e os exercícios orientados para modelagem, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. Nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 6 a 9 meses do pós-operatório.

P: A LIPOASPIRAÇÃO CORRIGE AQUELE EXCESSO DE GORDURA SOBRE A REGIÃO DO ESTÔMAGO?

R: Geralmente sim. Dependendo do seu tipo de tronco (conjunto tórax + abdome), poderemos ter um resultado bastante natural . Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste o corpo.

P: QUAL O TIPO DE MAIÔ QUE PODEREI USAR, APÓS A CIRURGIA?

R: Fica a seu critério. Se manequim lhe dirá.

P: PODEREI TER FILHOS FUTURAMENTE? O RESULTADO NÃO FICARÁ PREJUDICADO?

R: O resultado poderá ser preservado, desde que na nova gestação seu peso seja controlado por especialista. Se você voltar ao seu peso anterior e sua pele não apresentar flacidez e estrias decorrentes da gravidez, as formas obtidas serão mantidas. Devemos salientar, entretanto, que o corpo da mulher sofre variações da forma com o decorrer do tempo, devido à disposição da gordura nas diversas áreas corporais, principalmente no abdome, cadeiras e coxas. Assim é que a cada 5 ou 10 anos, a disposição da gordura no corpo muda de pessoa para pessoa. Mesmo assim, aquele excesso retirado nas áreas devidas, sempre lhe proporcionarão uma melhor evolução, mesmo que V. venha a ganhar certo peso.

P: O PÓS-OPERATÓRIO DA LIPOASPIRAÇÃO É MUITO DOLOROSO?

R: Geralmente não. Uma lipoaspiração ou lipoescultura de evolução normal não deve apresentar dor, desde que obedecidas as orientações pós-operatórias. Eventuais incômodos são resolvidos com a utilização de analgésicos e anti-inflamatórios.

P: HÁ PERIGO NESTA OPERAÇÃO?

R: Raramente a lipoaspiração traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia simultaneamente a outras. O perigo não é maior nem menor que qualquer outra cirurgia eletiva, ou mesmo uma viagem de avião ou de automóvel, e até o simples atravessar de uma rua. Entretanto, é importante levar em conta, que grandes volumes retirados poderão determinar riscos, tanto no ato operatório quanto no pós-operatório. É consenso, na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que o volume total de gordura a ser retirado por sessão, não ultrapasse a 5 a 7% do peso corporal. Seu cirurgião deverá lhe esclarecer detalhadamente sobre o volume ideal para o seu caso.

P: QUE TIPO DE ANESTESIA É UTILIZADA PARA ESTA OPERAÇÃO?

R: Anestesia geral, peri-dural ou local assistida. .

P: QUANTO TEMPO DURA O ATO CIRÚRGICO?

R: Dependendo da extensão das áreas a serem tratadas, o tempo varia de 1 a 3 horas, podendo ser ultrapassado em alguns casos. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

P: QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?

R: Dependendo da extensão da área aspirada e do tipo de anestesia ( local com sedação, peridural , geral ) o período de internação poderá variar de algumas horas até 1 dia.

P: SÃO UTILIZADOS CURATIVOS?

R: Sim. Curativos semi-compressivos com cintas especiais, mantidos por um período de 60 dias, em média..

P: QUANDO SÃO RETIRADOS OS PONTOS?

R: Do décimo ao décimo quinto dia.

P: QUANDO PODEREI TOMAR BANHO COMPLETO?

R: Geralmente no dia seguinte à cirurgia.

P: QUAL A EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRlA?

R: V. Não deve se esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia. Assim é que, no item 02, foi esclarecido sobre a evolução cicatricial (até o 18º mês). No item 03 sobre a sensibilidade, consistência, etc. Entretanto, poderá lhe ocorrer alguma preocupação no sentido de “desejar atingir o resultado final antes do tempo previsto”. Seja paciente pois seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que, infalivelmente chamarão a atenção de alguma de suas amigas que não se furtará à observação: “//SERÁ QUE ISTO VAI DESAPARECER MESMO?//”- É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser transmitida ao seu cirurgião plástico, e somente a ele, que lhe dará os esclarecimentos necessários, para sua tranqüilidade. Em tempo: Em algumas pacientes, ocorre uma certa ansiedade nesta fase, decorrente do aspecto transitório . Isto é passageiro e geralmente reflete o desejo de se atingir o resultado final o quanto antes. Lembre-se que nenhum resultado deverá ser considerado como definitivo antes dos 6 aos 9 meses.

Condutas complementares em Academias, com esteticistas ou mesmo fisioterapeutas, poderão melhorar bastante o resultado final, pois, a modelagem muscular é um fator de grande importância no novo contorno corporal.

RECOMENDAÇÕES SOBRE A LIPOESCULTURA/LIPOASPIRAÇÃO

RECOMENDAÇÕES PRÉ-OPERATÓRIAS:

Comunicar-se com seu cirurgião plástico até 2 dias antes da cirurgia, em caso de gripe, período menstrual, indisposição, etc.

Internar-se no hospital indicado na guia, obedecendo ao horário de internação.

Evitar bebidas alcoólicas ou refeições muito lautas, na véspera da cirurgia.

Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer, que eventualmente esteja fazendo uso, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico. Isto inclui também os diuréticos.

Programar suas atividades sociais, domésticas ou escolares, de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 4 a 5 dias.

RECOMENDAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS:

Evitar esforços por 8 dias.

Levantar-se tantas vezes quanto lhe for recomendado por ocasião da alta hospitalar, obedecendo aos períodos de permanência sentado(a), assim como evitar ao máximo esforços máximos.

Não se exponha ao sol ou friagem, por um período mínimo de 1 semana.

Obedecer à prescrição médica.

Voltar ao consultório para os curativos subseqüentes, nos dias e horários estipulados.

Provavelmente você estará se sentindo tão bem, a ponto de olvidar-se que foi operada recentemente. Cuidado! A euforia poderá levá-lo(a) a um esforço inoportuno, o que determinará certos transtornos. Vale ressaltar que entre o 3o. e o 5o. dia pós-operatório, poderá haver uma discreta depressão emocional ou mesmo física. Isto é previsto e explicavel pela recuperação do seu organismo, em pról da sua fisiologia corporal.

Não se preocupe com as formas intermediárias nas diversas fases. Tire com o seu cirurgião plástico, e somente com ele, quaisquer dúvidas que possam advir.

Alimentação normal (salvo em casos especiais). Recomendamos alimentação hiperproteica ( carnes, ovos, leite ) assim como o uso de frutas.

Aguarde para fazer sua “dieta ou regime de emagrecimento”, após a liberação médica. A antecipação desta conduta por conta própria, poderá determinar conseqüências difíceis a serem sanadas.