Rejuvenescimento Facial

rejuAtualmente a exaltação da juventude pelos meios de comunicação reforçou o desejo do aspecto jovem. As pessoas que lidam com o público e cujo aspecto envelhecido prejudica o seu rendimento profissional, faz-se mister o rejuvenescimento.

A vida atribulada nos grandes centros, a exposição prolongada aos raios solares, estresse e à poluição levam ao envelhecimento precoce.

Assim como o processo de envelhecimento é contínuo, a luta contra ele também deve se-lô. Portanto, o rejuvenescimento facial é um processo de tratamento contínuo, ao longo de anos, que deve ser feito com procedimentos diários de proteção da pele contra as agressões do meio ambiente (sol, poluentes, cigarro etc). A limpeza e a hidratação diária da pele, o peeling químico, preenchimentos e a toxina botulínica, são alguns exemplos de procedimentos que devem preceder ou complementar os procedimentos cirúrgicos.

Pré-operatório

  • Os pacientes fumantes devem deixar de fumar pelo menos 30 dias antes e 30 dias depois da cirurgia.
  • Uso de anti-concepcional e terapia de reposição hormonal, se possível, deverão ser suspensos um mês antes da cirurgia, sendo retomado seu uso somente um mês após a cirurgia. Este cuidado deve ser tomado para que se minimize o risco de trombose nas pernas.
  • Não tomar nos 15 dias que antecedem a cirurgia: AAS, Melhoral, Buferim, Aspirina e anti-inflamatórios.
  • Os pacientes hipertensos não devem interromper o medicamento anti-hipertensivo, salvo sob orientação do seu cardiologista.
  • Os pacientes diabéticos deverão ser avaliados pelo endocrinologista que orientará a conduta adequada, quanto ao uso da medicação;
  • Realizar os exames pré-operatórios indicados;
  • Tirar fotos para estudo e comparação;
  • Fazer jejum 8 horas antes da cirurgia, inclusive de água;
  • Antes da cirurgia, lavar a cabeça com shampoo neutro e tomar banho usando sabonete antisséptico (Soapex 1%);
  • Outras recomendações serão dadas de acordo com as peculiaridades de cada paciente.

 

Técnica cirúrgica

A ritidoplastia em linhas gerais é um procedimento de descolamento da pele e subcutâneo da face, seguida de uma rotação da pele e dos músculos, e ressecção dos excessos, com sutura da pele.

Anestesia

Normalmente usamos a anestesia local, precedida por sedação analgésica, realizadas pelo anestesiologista, profissional este que durante e após o procedimento cirúrgico, acompanha passo a passo o paciente, para seu conforto e segurança, monitorando as funções vitais.

Em alguns casos a cirurgia é realizada sob anestesia geral.

Tempo de Cirurgia

A cirurgia dura em média 5 horas, dependendo de cada caso e das áreas totais a serem tratadas. Isto não deve ser confundido com o tempo que o paciente permanece no Centro Cirúrgico, que inclui uma fase de preparação (marcação para a cirurgia), anestesia, recuperação pós-anestésica, até a alta.

Internação

A internação recomendada é de 24 horas.

Pós-operatório

  • A cabeceira do leito deve estar elevada ao dormir;
  • Usar shampoo neutro durante o banho;
  • O paciente deve usar de bolsa de gelo sobre as pálpebras por 72 horas (3-4 vezes ao dia, durante 10 minutos);
  • Usar antibióticos e analgésicos conforme orientação por 07 dias, se necessário;
  • O paciente não deve fazer repouso absoluto em hipótese alguma. O paciente que fica restrito ao leito tem maior risco de complicações como trombose venosa profunda (nas pernas).
  • Fazer massagem nas panturrilhas (batata da perna) com creme, devendo ser feita pelo acompanhante, assim que o paciente retornar do centro cirúrgico. Deve ser feita pelo menos três vezes por dia, até que o paciente esteja andando ativamente.
  • O paciente deverá fazer no mínimo 7 retornos após a cirurgia (2, 3 e 4 semanas de pós-operatório; 2, 3 e 6 meses, e com 1 ano);
  • As consultas de retorno serão feitas no consultório e devem ser marcadas com antecedência.
  • A retirada dos pontos palpebrais ocorre em aproximadamente 05 dias;
  • A retirada dos pontos pré-auriculares, com 05 dias e os retro-auriculares, com 08-10 dias;
  • Realizar fotos pós-operatórias após 06 meses;
  • Procedimentos complementares podem ser feitos após o segundo mês. Exemplo: refinamentos de cicatrizes, enxerto de gordura, aplicação de Botox, peeling etc;
  • O retorno às atividades deve ser feito de forma gradual, normalmente liberamos para dirigir após 10 dias, exercícios leves com 30 dias, exercícios moderados com 60 dias e exercícios exaustivos após 90 dias;
  • A liberação para expor-se ao sol deve ocorrer após 60 dias sendo que nos primeiros 30 dias é obrigatório o uso de óculos escuros, chapéus e protetor solar;
  • O uso de cremes hidratantes podem ser reiniciados após 20 dias da cirurgia;

Complicações Possíveis

  • Infecção: proliferação bacteriana no foco cirúrgico com reação inflamatória (calor, vermelhidão, inchaço e dor) e formação de pus no local, acompanhado de febre;
  • Hematoma: acúmulo de sangue no local da cirurgia com expansão tecidual, podendo ser necessário nova intervenção cirúrgica;
  • Seroma: acúmulo de líquido (soro ou plasma, parte líquida do sangue) no espaço deixado pelo descolamento do tecido. Ocorre um abaulamento da área.
  • Necrose da pele: morte do tecido (pele) pela falta de circulação sanguínea;
  • Deiscência de sutura: abertura dos pontos;
  • Prurido (coceira) na ferida operatória;
  • Formação de quelóide na cicatriz. Trata-se de uma complicação que não é possível de ser prevista no pré-operatório, mas é mais comum nas pessoas da raça negra ou amarela. Existem formas de tratamento para este tipo de complicação mas algumas vezes os resultados são frustros;
  • Dores ou dolorimento ao contato na área operada.
  • Alopecias: perda de cabelo em segmentos do couro cabeludo.
  • Lesões de ramos do nervo facial;
  • O conjunto de complicações que podem surgir em qualquer procedimento anestésico-cirúrgico, tanto no trans ou pós-operatório, pode evoluir desfavoravelmente e culminar em óbito.

Curativo

A (o) paciente sai da sala de cirurgia e recebe alta com um curativo de gaze,  chumaços de gaze com algodão e ataduras de crepon (faixas), tipo “capacete”. Cerca de dois dias após a cirurgia é realizado o primeiro curativo, sendo então retirado o “capacete”  e se foi realizada cirurgia de pálpebras (ver blefaroplastia) os pontos das pálpebras são retirados. Nesta fase a face ainda estará edemaciada (inchada) e pode apresentar equimoses (manchas roxas), em graus variáveis de pessoa para pessoa. Tudo isso é normal e melhorará com o passar do tempo.

Dor

Quando existe, geralmente é discreta e cede com analgésicos comuns, sendo mais frequente nos primeiros dias. É um importante parâmetro para indicar a necessidade de repouso relativo no início.

Banho

Pode ser liberado após o primeiro curativo, tomando-se cuidado, ao lavar os cabelos, com a presença de pontos dentro do couro cabeludo. Lave a cabeça com água morna e xampu neutro, sem esfregar demais as áreas com pontos. Eventualmente a água pode tomar uma coloração rósea em virtude de pequenos acúmulos de sangue coagulado (seco), mas isto não deve trazer nenhuma preocupação.

Retirada de Pontos

A retirada de pontos é feita gradualmente. Se foi realizada blefaroplastia, os pontos são retirados em torno de 4 a 7 dias de pós-operatório. Os demais pontos serão retirados paulatinamente entre o 8º ao 21º  dias

 

Resultado final

Dependendo do grau de edema (inchaço) que ocorrer com você, logo no pós – operatório imediato já se pode Ter uma idéia do resultado que será obtido. Porém, lembre-se sempre que, de uma certa forma, o seu corpo foi agredido e vai levar algum tempo para que ele possa se recuperar completamente. Assim, o resultado final de qualquer cirurgia nunca pode ser avaliado antes da completa cicatrização, ou seja, 6 meses a 1 ano. Nesta fase é importante ter paciência   e evitar a ansiedade de se querer um resultado imediato. Lembre-se que você levou 9 meses para nascer! Evite se perturbar por comentários de “amigas (os)”  ou parentes que não foram esclarecidos como você sobre a cirurgia. Irregularidades, inchaço ou outras alterações podem ocorrer e serão passageiras, bastando dar tempo ao tempo. Pequenas áreas de insensibilidade, coceira e ardor também são muito comuns no início e se surgirem dúvidas, converse com o seu cirurgião, que será a única pessoa capaz de orientá-la o corretamente.

Recomendações

  • Comunicar qualquer alteração que possa ocorrer, quanto ao seu estado geral, até a véspera da internação.
  • Não fazer maquiagem e nem pintar as unhas no dia da internação;
  • Trazer os exames pré-operatórios no dia da internação;
  • Um acompanhante deverá ficar junto com o paciente no pós-operatório, durante a internação hospitalar;
  • Qualquer dúvida ou problema que surgirem antes ou após a cirurgia entrar em contato com o seu médico (Dr. Humberto Brasiliense 9994-2626, consultório 3345-7203 ou 3345-1619).

 

Tratamento adjuvante: no pós-operatório da cirurgia de face você também será assistido (a) por uma fisioterapeuta com especialização em estética que auxiliará na diminuição do edema (inchaço) facial, garantindo maior conforto na sua recuperação por meio de drenagens linfáticas manuais.

Recidiva:  como qualquer cirurgia, não existe “prazo de validade” para a cirurgia de face  e o seu corpo continua se modificando. Assim, se você engordar ou emagrecer, sua face se modificará e o relógio do tempo não pára com a cirurgia. Você e sua face continuarão a envelhecer. Porém, de um modo geral, os resultados são bastante duradouros e gratificantes, sendo realmente possível conferir um melhor aspecto ao rosto, com grande benefício estético.

É importante que  o (a) paciente esteja bem esclarecida (o) acerca do procedimento e o que ele pode oferecer, evitando falsas expectativas sobre o resultado. O médico especialista é a pessoa mais indicada para esclarecer todas as dúvidas de cada paciente, com informações específicas para cada caso, inclusive por escrito, durante o pré-operatório.

Perguntas Freqüentes

P: QUANTOS ANOS VOU REJUVENESCER?

R: Não é possível, através da cirurgia, transformar uma face de 40 anos em outra de 20. Apesar disto parecer óbvio é importante frizá-lo pois certas informações errôneas são transmitidas por leigos desinformados ou pela Mídia distorcida, fazendo alguns pacientes acreditarem na possibilidade de se fazer “o relógio do tempo” ser retardado conforme sua vontade. Nenhum cirurgião plástico logrará este intento.

P: COMO FICARÃO AS CICATRIZES? DESAPARECERÃO?

R: A cirurgia plástica visa melhorar o aspecto da flacidez, rugas, sulcos, etc., dando assim um rejuvenescimento à face. As cicatrizes, entretanto, serão permanentes, apesar de irem se tornando cada vez menos visíveis com o decorrer do tempo. Enquanto isto não ocorre, recursos cosméticos como a maquiagem e penteados adequados disfarçam perfeitamente o inconveniente criado pelas cicatrizes recentes. Além disso, cada paciente comporta-se diferentemente de outro, em relação à evolução das cicatrizes, podendo, mesmo, em certos casos, tornar-se praticamente invisível o seu vestígio. Apesar desta advertência prévia, muitos pacientes costumam olvidar-se dos detalhes que são transmitidos durante a consulta inicial e passam a preocupar-se especificamente com a presença das cicatrizes, no período pós-operatório imediato e mediato. Pruridos (coceiras), ardor ou insensibilidade poderão ocorrer eventualmente sobre as cicatrizes. Isto será temporário e tenderá a desaparecer.

P: POR QUANTO TEMPO PERSISTE O RESULTADO?

R: A cirurgia da face, pescoço e pálpebras retarda visualmente o processo de envelhecimento desses territórios. Retarda mas não interrompe o processo evolutivo do organismo”.Em alguns casos, há necessidade de retoques ou complementos, após certo tempo.
P: A CIRURGIA DO REJUVENESCIMENTO FACIAL (RUGAS) É CONSIDERADA COMO “PEQUENA” OU “GRANDE CIRURGIA”? HÁ RISCO NESTA OPERAÇÃO?

R: Raramente a cirurgia de rejuvenescimento determina sérias complicações. Entretanto, sendo um procedimento cirúrgico, ocasionalmente poderão ocorrer imprevistos na evolução. Felizmente, isto geralmente é passível de correções posteriores, mediante revisões cirúrgicas, permitindo-nos obter o resultado almejado. Não existe qualquer obrigatoriedade do cirurgião em intervir posteriormente (retoques, correções ou complementações), desde que a seqüela não se deva a imperícia , negligência ou imprudência profissional.
P: AS FOTOGRAFIAS PRÉ E PÓS-OPERATÓRlAS SÃO IMPORTANTES?

R: Evidentemente; a única maneira de se avaliar o resultado obtido é a comparação entre as fotografias pré e pós-operatórias, realizadas sob condições fotográficas idênticas nesses 2 períodos. As fotografias dos(as) pacientes fazem parte integrande de seus prontuários médicos.
P: QUE TIPO DE ANESTESIA É UTILIZADA PARA A OPERAÇÃO?

R: Tanto a anestesia geral quanto a local ou a associada são utilizadas, dependendo de cada caso. Seu cirurgião deverá sugerir-lhe a mais conveniente. O resultado final será o mesmo.

P: QUANTO TEMPO DEMORA O ATO CIRÚRGICO?

R: Em caso de cirurgia completa, envolvendo face, pálpebras e pescoço, o ato cirúrgico poderá se extender a 3 ou 4 horas, dependendo do caso. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

P: QUAL O TEMPO DE INTERNAÇÃO?

R: Meio período até vinte e quatro a trinta e seis horas, de acordo com a necessidade de cada caso, sempre levando-se em conta o conforto e segurança do paciente.

P: SÃO UTILIZADOS CURATIVOS?

R: Sim. Geralmente são utilizados curativos secos. O grande curativo é retirado em torno das primeiras 24 horas, podendo ficar apenas um curativo leve sobre as cicatrizes residuais, após esse período.

P: OS OLHOS FICAM OCLUÍDOS NO PÓS-OPERATÓRIO?

R: Não obrigatóriamente. Poderá ser recomendada a aplicação de compressas de algodão embebido em água fria sobre os olhos, ou conduta similar, que podem ser trocadas conforme o paciente o deseje. Isto diminui a intensidade do edema pós-operatório sobre os olhos.

P: HÁ DOR, NO PÓS-OPERATÓRlO?

R: O pós-operatório geralmente não apresenta problema de dores, desde que o(a) paciente observa as recomendações do cirurgião. Ocasionalmente poderá ocorrer discreta dor, que poderá ser perfeitamente sedada com analgésico de linha comum.

P: QUANDO SÃO RETIRADOS OS PONTOS?

R: A maioria dos pontos das pálpebras é removida após 48 a 72 horas. Os remanescentes (face, pescoço, couro cabeludo), entre 8 e 12 dias.

P: QUANDO PODERÁ SER UTILIZADA MAQUIAGEM?

R: Para as pálpebras, 3 dias após a retirada dos pontos. Na face, em torno do 5o. dia. Seu cirurgião poderá fornecer-lhe maiores detalhes a esse respeito.

P: QUANDO PODERÃO SER LAVADOS E PENTEADOS OS CABELOS?

R: Entre o segundo e o sétimo dia pós-operatório poderão ser lavados e penteados os cabelos (com certo cuidado). Para secá-los utiliza-se secador manual com ar discretamente aquecido. As tinturas somente deverão ser utilizadas após a 3ª semana.

P: O “CORTE DE CABELO” PREPARATÓRlO PARA A CIRURGIA É MUITO EXTENSO? PODERÁ SER DISFARÇADO NO PÓS-OPERATÓRIO?

R: Os cabelos são cortados somente naquelas áreas onde se planeja localizar as cicatrizes. No pós-operatório imediato, este inconveniente poderá ser perfeitamente disfarçado, com penteado adequado.

 

P: QUAL A EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRIA?

R: V. não deve se esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases evolutivas são características deste tipo de cirurgia. Assim é que edemas (inchaço), “manchas” de infiltrado sanguíneo, hipersensibilidade de algumas áreas, insensibilidade de outras, são comuns a todos os pacientes; evidentemente, alguns pacientes apresentarão estes fenômenos com menor intensidade que outros. Esperamos que você esteja neste grupo. Caso não esteja, não se preocupe. Dê tempo ao tempo, que o seu organismo se encarregará de dissipar todos estes pequenos transtornos que, infalivelmente, chamarão a atenção de alguma pessoa estranha, que não se furtará à observação: “Houve alguma complicação? Será que isto vai desaparecer?” É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser a nós transmitida. Daremos esclarecimentos necessários para sua tranqüilidade. Em tempo: Um curto período de “depressão emocional” poderá ocorrer nos primeiros dias, devido ao aspecto transitório. Isto é passageiro e geralmente advém da “ansiedade em ser atingir o resultado final o quanto antes”. Tenha paciência. Lembre-se que nenhum resultado de cirurgia de rejuvenescimento facial deverá ser avaliado antes dos 3 meses pós-operatórios.

P: PARA FINALIZAR: O RESULTADO DA CIRURGIA DE REJUVENESCIMENTO COMPENSA?

R: Cada caso é analisado individualmente, durante a 1ª consulta. Algumas pacientes procuram, com esta cirurgia, ficar “mais bonitas”. Este não é o objetivo fundamental da cirurgia, mas apenas um efeito a mais a que se busca. Nessa ocasião, o cirurgião deve esclarecer sobre todos os detalhes aqui relatados, bem como aqueles eventualmente esquecidos. Desde que tenha-se decidido mutuamente a realizar a cirurgia (médico e paciente) é porque o resultado compensa. Caso contrário, a cirurgia deverá ser recusada.